“Empreender é como saltar de um penhasco e construir o avião durante a queda.”

Essa frase resume muito bem o que é empreendedorismo.

É um grande desafio, até mesmo um risco, mas que também nos faz perceber o mundo de maneira diferente e melhor.

Comecei a empreender em 2017, dois anos depois de ter me formado. Foi por necessidade, oportunidade – desespero, confesso – mas principalmente por paixão.

Escolhi o design gráfico como profissão, mesmo não sendo a área em que sou graduada. (Sou profissional de marketing.)

Mas isso nunca foi desculpa, para não aprender mais, me profissionalizar, aperfeiçoar e me desenvolver como profissional.

O meu “caso de amor” com o design, vem de muito tempo, mas nunca quis arriscar com medo de “não dar certo”.

Nesse relativamente pouco tempo como empreendedora eu aprendi muitas lições, não só na teoria mas também na prática, que desejo compartilhar com vocês agora.

1- Comece onde você está, use o que você tem e faça o que você sabe

Muita gente espera a “situação perfeita” para começar a empreender e abrir um negócio.

Mas algo muito importante preciso lhe dizer: não existe situação perfeita!

É essencial, se planejar, organizar e calcular riscos, mas como diria uma música do Coldplay: if you never try you’ll never know. (Se você nunca tentar nunca vai saber).

Teste sua ideia de negócio, mesmo que em pequena escala, para “experimentar o mercado” e conhecer a fundo a área em que está se inserindo.

Experimente pôr em prática tudo que você planejou.

Se tudo der certo de primeira, agradeça!

Porém se algo der errado – o que em 90% dos casos é comum em empreendedores  de primeira viagem – “ajuste as velas” no caminho.

Não há nada de errado nisso!

2- Empreenda com paixão, ponha alma no seu trabalho

Todos nós temos atividades em que realmente somos bons. Geralmente é algo que nos dá prazer, nos faz muito feliz, e esquecemos das horas passar…

Para empreender é importante ter afinidade com o segmento em que irá atuar ou com o negócio.

Mas eu diria até mais que afinidade, diria que é preciso ter tesão. (Desculpe pela palavra, mas é a única que realmente resume o prazer por empreender).

Imagina, algo em que você investiu  tempo, dinheiro, suor, conhecimento, noites mal dormidas e você vai fazer apenas por fazer?

Faça com gosto, dê o seu melhor sempre, mesmo se a recompensa demorar. Uma hora tudo vai fazer sentido e vai valer a pena. Não faça apenas pelo dinheiro, por que o dinheiro é consequência de um bom trabalho.

Sei que isso parece conversa de sonhadores e de pessoas que não tem contas para pagar… Mas quem abre um negócio focado apenas no lucro, na primeira dificuldade fecha as portas pois não tem garra o suficiente para enfrentar os obstáculos, redefinir as estratégias e finalmente prosperar.

3-Conhecimento é investimento

Estamos na era da informação e do conhecimento, e esses dois ativos nunca valeram tanto.

Empreendedores são curiosos natos, gostam de aprender sobre tudo e saber como as coisas ao seu redor funcionam.

Mas somente a curiosidade não é o suficiente!

A educação formal auxilia bastante e até encurta o processo de aprendizado de uma nova profissão, mas ela não é a única forma de se tornar um especialista.

Ser autodidata nos dias de hoje, não é mais um luxo, mas questão de sobrevivência.

Se não nos atualizamos, logos somos deixados para trás. Quantas e quantas profissões se extinguiram nos últimos anos. E quantas estão surgindo principalmente com a era digital?

Por isso leia, estude, se nutra de cultura, converse, interaja, faça cursos, graduação, mestrado, mas NUNCA fique parado.

4-Nunca misture o profissional com o pessoal

Atire a primeira pedra aquela(a) que nunca foi ao trabalho sobrecarregado com um problema pessoa!

Fim de relacionamento, morte de parente, assalto, dificuldades financeiras, problemas com filhos… bom a lista é grande.

E o que devemos fazer principalmente como empreendedores?

Ser profissional acima de tudo! Isso demonstra maturidade, e o principal, não vai te fazer perder clientes apenas porque você está “mal”.

Eu mesma já trabalhei doente, com problemas emocionais além de outras dificuldades.

Tive que atender clientes, criar projetos, fazer reuniões e dar meu melhor, mesmo meu corpo e minha mente dizendo para eu ficar parada, e me render as circunstâncias.

Funcionários, sócios clientes, fornecedores dependem dos seu serviços, então faça seu melhor.

Se mesmo assim for difícil, tire uma pausa e coloque alguém no seu lugar – e a cabeça no lugar – porque o negócio não pode parar.

5-Se deseja ir rápido vá sozinho, se deseja ir longe vá acompanhado

Quando comecei a empreender eu queria fazer tudo sozinha. Já comecei criando minha marca, meu site, redes sociais e adquirindo meus equipamentos.

Planejei, me organizei e executei tudo à minha maneira, e isso é foi muito bom pois meu deu liberdade e confiança, além de deixar tudo do jeito que queria.

Mas nenhuma empresa se constrói sozinha. É uma mão ajudando a outra. Por mais que você não tenho sócios, com certeza você tem uma rede de contatos que te apoiam, e te dão suporte quando você precisa.

Por isso sempre valorize, familiares, amigos, clientes, fornecedores, sócios… e todos aqueles que estão contigo num mesmo propósito.

Pois afinal, empreender não é apenas construir um barco, mas sim navegar. E enfrentar as tempestades sozinho é mais complicado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor entre com seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.